domingo, 28 de fevereiro de 2010

O animal que desafia a imaginação

Qual é o animal que tem mais do que três olhos mas menos que quatro olhos?










Não sabem?












Pensem mais um pouco!











Ok, eu digo. É o fantástico PI-olho!

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Não há filmes de jeito!

As excentricidades da língua portuguesa e as suas expressões sempre fascinaram o meu imaginativo.

Tanto é assim que, mesmo em pequeno, lembro-me perfeitamente de ouvir a TV referir-se a pessoas como "testas de ferro" e "caras de pau" e, para a minha jovem mente da altura, tais pessoas teriam que ser literalmente seres sobrehumanos.

Depressa o meu imaginativo se agitava a construir situações de batalha entre estes dois seres fantásticos em que poderiam apenas usar as suas cabeças para lutar. Quem ganharia? O testa de ferro que possuía o elemento mais forte mas o resto da cara desprotegida? Ou o cara de pau que seria mais uniforme e equilibrado?

VS

Certo é que nunca me esqueci desse particular exemplo, mesmo quando questionado acerca da minha sanidade mental.

Cheguei até a criar um argumento para um eventual filme e a contactar o actor que, na minha opinião, retrataria melhor o fantástico "cara de pau", depois de consultar o seu CV que incluía o seu mapa emocional.



Estranhamente nem o actor se mostrou interessado no papel, nem nenhum estúdio se mostrou interessado no argumento.

Depois queixem-se que não há filmes de jeito no cinema!

(A propósito, a expressão facial do Steven Seagal que prefiro é a quinta, o "divertido"!)

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Contradições?

Já pensaram porquê que os cães andam de GATAS e os gatos fazem o amor à CANZANA?

Será um caso de dupla personalidade geral? Ou apenas um caso de humor irónico humano?

Aqui no pior blog da blogosfera continuaremos a investigar o caso, mas já descobrimos pelo menos um espécime que tenta fugir à tendência:

domingo, 21 de fevereiro de 2010

O pássaro

Era uma vez...

Um pássaro.

O mencionado pássaro estava a atravessar um país especialmente frio. Para grande infortúnio dele, o frio era demais pelo que o pobre pássaro congelou e caiu.

Quando já se considerava morto, passou um vaca por ali. Vaca essa que nem o viu quando fez a sua bosta por cima do pássaro.

Pensando no que mais podia correr mal, o pássaro reparou que estava a descongelar. O calor da bosta estava a salvá-lo.

Descongelado e vivo o pássaro põe-se a cantar a plenos pulmões para quem o quisesse ouvir.

Um gato oportunista que passava por lá, ouve-o, aproxima-se, limpa-o da bosta e finalmente come-o.

Morais da história:

- Nem todos os que te deitam merda em cima são teus inimigos...

- Nem todos os que tiram merda de cima são teus amigos...

- E se te alguma vez encontrares num sítio quentinho e confortável, deixa-te estar quieto e calado!

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010